terça-feira, 15 de maio de 2007

A paz, mas que paz?

Luis Baridó

Estava eu dia desses na entrada de uma das muitas e muitas faculdades que povoam esse nosso Brasil brasileiro. E vi ali na parede de entrada as seguintes palavras:

Senhor: Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!
Ó Mestre,
fazei que eu procure mais.
Consolar, que ser consolado.
Compreender, que ser compreendido.
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!
Amém
De todo o meu coraçao meu grande mestre.

Ali, na parede do lugar onde nossos mais brilhantes cidadãos se esforçam pelo progresso do país e do mundo, dia e noite, e porque não dizer a tarde também. Todos eles, formados pela escola, anote aí na caderneta, mais de 15 anos de formação pelas fileiras escolares e da universidade tem cada uma daquelas pessoas que passavam na minha frente, rumo as aulas, provas, seminários. Enfim, esses que ouvimos todos os dias serem os portadores da capacidade de pacificar a sociedade e transformar o Brasil num país mais justo, igualitário e pacífico.
Dizem isso, os homens nas ruas, as mães nas filas dos bancos, e ouvimos nas bocas dos idosos, ou no politicamente corretês, os da melhor idade. Todos formam um coro só: "Estude se você quiser ser alguém na vida e se quiser mudar esse mundo!". Que fique bem claro, que nada tenho contra o estudo, eu mesmo tenho mais de 20 anos de estudo formal, e mal não me fez.
Porém, o que digo é que só estudo não basta. Aquelas palavras na parede da faculdade ficaram na minha cabeça. É uma oração. Oração atribuída ao homem de Assis, mais conhecido como São Francisco de Assis. Ela propõe uma mudança interna. Mudança que começa dentro do homem que se propõe a fazer a paz. E me lembra muito a frase de um amigo, que estudou comigo na faculdade, ele dizia: "Para mudarmos a cultura de um país, temos que mudar primeiro a cultura dentro de nós mesmo!". É isso a que se propõe o autor dessa oração, que é muito mais do que palavras a serem admiradas, mas atitudes a serem refletidas e quem sabe praticadas.
Proponho uma reflexão sobre a oração da paz, e pretendo nos próximos dias e semanas escrever um pouco mais sobre ela, sobre as fortes proposições que ela invoca e requer de um ser humano.
Ser instrumento da paz requer esforço, muitas vezes esforço sobre-humano.
Termino questionando a mim mesmo e minhas intenções: "Quero eu ser um instrumento da paz?" e "De que paz pretendo ser instrumento?"
Fiquem todos em paz!

4 comentários:

Gustavo Pereira disse...

mt bom. e ah, quero fazer uma reflexão mais profunda sobre a oração da paz. escreva mais, lerei tds...

Pedro Grabois disse...

Fala Luis, tudo certo?
Gostei do teu post.
É sempre bom lembrar dessa oração de São Francisco. A paz de Deus pra mim é algo ontológico... tá diretamente ligada a mudança que ele opera no nosso ser de uma vez por todas... mas nós a vivenciamos ao longo da vida... e sentimos ela no nosso "sendo". Somos seres políticos e essa dimensão tbm não deve ser esquecida quando falamos de paz... que busquemos a paz em todas as áreas de nossa vida!

Entra lá no blog da justiça http://justicaintegral.blogspot.com, tô usando o espaço pra fazer uns debates tbm. Vale a pena conferir.
Fica na PAZ, um grande abraço,
Pedro Grabois.

Cadu disse...

...essa paz que vai além do comum entendimento.
Bom post, brother. Essa oração é fabulosa!, inspiradora pra caramba!
Caminhe meu irmão, escreva. A massa 'crenteira' agradece.

Intelectualorganico disse...

Tá bem na hora de atualizar isso aqui héin!?
Caminhe meu irmão, escreva. A massa 'crenteira' agradece.
Saudades de você.